SARAU LITERÁRIO

Com  o intuito de tornar mais próxima a relação entre aluno e autores consagrados da literatura e música brasileira, foi que a Escola Sagrado Coração de Jesus promoveu o I Sarau Literário e o circuito de literatura com contos de artimanhas.

Inicialmente os alunos escolhidos para participar deste I Sarau foram os do  infantil V (que estão entrando na fase do letramento) e os do I e II ano do Ensino Fundamental. Ao todo foram nove apresentações com performances que passaram pela lenda do Peixe Boi, a Pulga, a estória de Emília e Visconde Sabugosa (personagens do Sítio do Pica Pau Amarelo) e a Arca de Noé – entre outras – todas pertencentes à Vinícius de Moraes, Toquinho, Heliana Barriga e Monteiro Lobato.

Foi uma noite mágica, onde crianças e adultos puderam viajar no mundo literário onde a aprendizagem lúdica aprofundou a criatividade cultural.

O ginásio esteve lotado na noite das apresentações. Sucesso total!

Para as turmas do fundamental, o formato foi diferenciado. Durante uma semana, as professoras do II e IV ano, focaram as atividades nos contos da cultura popular, especialmente os contos de artimanhas, que são narrativas, geralmente curtas, nas quais os personagens, humano ou animal, utilizam a esperteza como estratégia para garantir sua sobrevivência ou vencer alguém mais poderoso. Esses contos fundamentam-se em uma moral ingênua, que vigora em um mundo de injustiça onde impera a crueldade e cada um luta por si. O personagem escolhido foi Pedro Malasarte.

Malasartes vem do espanhol malas artes (literalmente, artes más), que significa “travessuras” ou, no limite, “malandragens”. De origem humilde, Pedro Malasarte é o astuto herói popular, cheio de artimanhas. Consegue enganar todos os que cruzam seu caminho, sempre levando a melhor diante dos poderosos, avarentos, orgulhosos ou vaidoso. Em alguns contos, Malasartes aparece como um herói humilde que faz justiça.

A iniciativa das professores decorreu da problemática de que os jovens e crianças de hoje desconhecem muitas histórias que eram contadas em rodas de conversa a beira das fogueiras e lampiões de antigamente, pois hoje, eles se reúnem em frente ao computador, não ouvem mais historias apenas leem sozinhos.

Portanto, para que as historias dos contos populares, especialmente os contos de artimanhas não sejam esquecidos, este projeto procurou mostrar as diferenças entre a linguagem oral e a escrita, valorizando a cultura popular dos contos do malandro, sábio e sedutor Pedro Malasartes para proporcionar emoções e vivências significativas.

Por meio de linguagem simbólica dos contos, a criança foram orientadas a construir uma ponte de significação do mundo exterior para seu mundo interior, aprendendo valores, refletindo sobre suas ações, desenvolvendo seu senso crítico, sua criatividade, sua expressão e linguagem.

A apresentação foi do Hall de Entrada do Fundamental.